sábado, 11 de julho de 2009

Súplica


Enfeita de dourado
O meu dedo,
Jura que é meu homem,

Que é sangue do meu sangue
Que é meu dono,
Que é feliz...

Mas não me prende assim,
Como se eu já não fosse mais
Parte de mim,

Não me rouba assim
De graça, nem de leve,
Não me tira de mim.

Me coloca no alto, no altar,
Num chão, sob um teto,
Sob o céu do teu olhar,

Mas não me nega nunca,
Por maior que seja
A força do teu afeto,

Esse poder
Que só você tem
De me libertar.

6 comentários:

Fernanda Bogéa ੴ•●•٠·˙ disse...

perfeitaaa como sempre!

te amo!

A. Ferro disse...

gostei muiiitoooooooo!!!

TIAGO disse...

Muito Bonito, falta so a musica!!

lenny de castro disse...

Uau!

Gabi Magnani disse...

Que lindo. Er, como irei te chamar? Borboleta? Pois bem. Queria ter o seu dom para escrever poesias. Sou péssima e não saí nada. Eu rimo mesa com cabeça e fica tudo uma porcaria, kkkkkk. Mas adorei seu cantinho, tão espontâneo e natural, e ao mesmo tempo encantador. Estou te seguindo e te linquei. Beijos!

A. Ferro disse...

Olha só no meu blog..

http://cafesemfumo.blogspot.com/2009/10/ate-no-enem.html

Um beijo!