segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eterno Retorno


Logo-logo estou de volta,
Pra você
Que não está nem aí.

Tão logo começo a falar
E você se põe a dormir.

Daqui a pouco estou chegando,
Pra não ter nenhuma atenção;
Pra te ver me negando as migalhas
Que te sobram do coração;

E não tem jeito...

É como se eu
Não pudesse pensar direito,
E insistisse
No que nunca existiu;

O pouco que tive,
A muito partiu;
Sem rumo, nem chance,
Nem retorno;

E fico eu nessa volta sem fim,
Querendo mostrar
Que com você é que quero ficar...

Mesmo se for
Pra errar tudo de novo.

2 comentários:

TIAGO disse...

Oi minha amiga,

Gostei muito desse poema, milhares de pessoas "assim como eu", já sofreram esse sentimento de rejeição "amar sem ser amado :)" e tentaram expressar isso em palavras. E vc fez isso muito bem.
Parabéns!

Sara Marinho Soares disse...

A eterna repetição do que chamamos paixão.

"O amor quando acontece a gente logo esquece que sofreu um dia, esquece sim. Quem mandou chegar mais perto se era certo outro engano, coração cigano. Agora eu choro assim..."
[joão bosco]

Qual o privilégio de amar e se apaixonar se não nos sucumbirmos à esses momentos de angústia e solidão?
É o que nos faz sentir viva, não é, Na?